Animais como aves, peixes e anfíbios exibem um grande repertório de cores, mas nenhum grupo é comparável às borboletas. Suas cores desempenham múltiplas funções, que vão desde a atração de parceiros reprodutivos até a manifestação de estratégias de defesa contra predadores. As cores são assim uma parte da biodiversidade também, mas uma parte que normalmente negligenciamos... será que as perturbações causadas pelas atividades humanas, além de ameaçar as espécies em si, podem também afetar os padrões de cores que encontramos na natureza?

Transparent butterfly (Cithaeria andromeda) with camouflaged wings. Photo by Cristiano Agra Iserhard.
Transparent butterfly (Cithaeria andromeda) with camouflaged wings. Photo by Cristiano Agra Iserhard.


Estar imerso em um lugar fascinante como a Amazônia é o primeiro passo para as grandes inspirações de um pesquisador. E essa foi a pergunta que surgiu em uma manhã ensolarada, observando borboletas de diversas cores, formas, tamanhos e comportamentos voando pelas reservas do Colosso (ARIE PDBFF).
A resposta da pergunta acima deu origem a um artigo recém publicado, na revista Biodiversity and Conservation:
Spaniol RL., Mendonça MS., Hartz SM., Iserhard CA., Stevens M. Discolouring the Amazon Rainforest: how deforestation is affecting butterfly coloration <https://doi.org/10.1007/s10531-020-01999-3>.


O desenrolar deste estudo remete ao título do artigo. Em áreas da Floresta Amazônica com históricos recentes de desmatamento, a composição de espécies e cores em borboletas mudou significativamente em comparação com locais preservados. A diversidade das cores é bastante menor para locais abertos e desprovidos de cobertura florestal. Percebemos que as espécies mais coloridas são as primeiras a desaparecer após a perda da vegetação e identificamos uma forte seleção para borboletas com cores marrons/cinzas, que acabam predominando nestes ambientes. A camuflagem aparece como a principal estratégia de defesa e sobrevivência quando o habitat já não é mais o mesmo.


Uma notícia boa também merece destaque: Após 30 anos de regeneração natural da vegetação, a composição e diversidade das cores em borboletas apresentou valores muito próximos aos de áreas preservadas. Isso reforça a necessidade de: i) políticas públicas capazes de coibir o desmatamento ilegal; ii) incentivos para planos abrangentes e ousados de restauração florestal e; iii) fomento à pesquisa científica como ferramenta estratégica na conservação dos recursos naturais. Na ausência de esforços coletivos, a Amazônia continuará perdendo seus habitantes mais coloridos e fascinantes, protagonistas inspiradores de diversas teorias ecológicas ao longo dos últimos séculos, e que se revelam como um dos melhores modelos de estudo para o monitoramento da saúde das florestas ao redor do planeta.

 

The blue Morpho butterfly. Photo by Cristiano Agra Iserhard.
The blue Morpho butterfly. Photo by Cristiano Agra Iserhard.
Acessos: 58